Olá! O meu nome é Tânia e sou uma estudante universitária apaixonada por chocolate, praia, canecas e culturas.

Ao longo do meu crescimento sempre senti que tinha algo a dizer pela minha curiosidade e imaginação que sempre me faziam criar os mais diversos cenários. Apesar disso, sou uma pessoa que se considera bastante tímida e que nunca se sentiu bem à vontade perante pessoas ou câmaras pelo que tinha dificuldade em perceber como me fazer ouvir sem deixar que as minhas inseguranças me afetassem. Foi com isso em mente que comecei a minha jornada como blogger em 2013, quando criei o meu primeiro blog, há muito eliminado, onde publicava grande parte dos textos que criava quando deixava a minha mente divagar.

“I can be changed by what happens to me. But I refuse to be reduced by it.” – Maya Angelou

Passei por muitas tentativas de criar algo meu, tal como muitas desistências, mas a entrada na universidade mostrou-se o ambiente ideal para tentar de novo. E assim nasceu o Mar de Pétalas onde eu partilho sobre os mais diversos temas entre produtividade, universidade, organização e lifestyle. O meu objetivo é dar uma perspetiva a qualquer pessoa que tal como eu esteja interessada sobre estes tópicos ou que se encontre na mesma etapa de vida, ao mesmo tempo que me permito explorar e documentar um pouco do meu crescimento.

FAQS

Quando criaste o Mar de Pétalas?

O Mar de Pétalas começou em Junho de 2019, após semanas de discussões com amigas próximas sobre voltar a escrever e desta vez destinado ao público.

Porquê o nome Mar de Pétalas?

O nome une duas das coisas que mais me apaixona na natureza: o mar e plantas. Para além disso, eu senti que o nome se adequava como metáfora à ideia de eu querer manter uma vertente ampliada sobre os temas que abordo visto que nós nunca sabemos o que esperar do mar e qualquer pétala é diferente e única comparada a outra.

Qual a razão da universidade ter sido o ambiente que impulsionou o blog?

Em 2018, dei por terminado o meu secundário e iniciei uma nova etapa da minha vida, talvez a etapa que mais sinto que me está a fazer construir mais e mais do meu caráter. Entrei para a faculdade, mas não sem antes, tal como muitos outros, passar por uma fase em que coloquei tudo em questão. A verdade é que a entrada na universidade foi dos momentos mais atribulados, sendo que Sociologia, a minha licenciatura, só apareceu nas minhas opções pouco antes do prazo final da inscrição tratando-se da 3ª opção. Foi graças a esta aventura que comecei a perceber que tinha ainda mais a dizer do que já acreditava e após um bom tempo decidi que estava na altura, porque a verdade é que não tinha nada a perder.