BTS 2021: Dicas de estudo para arrasares no novo ano

Olá pessoal! Sejam bem-vindos(as) a mais um post aqui no blog. Tendo em conta que estamos no início do ano letivo achei que seria uma boa ideia compilar uma lista o mais completa possível de todas as dicas que já utilizei e que me ajudaram tanto como aluna durante o secundário como na universidade.

Por isso, prepara-te que este vai ser grande 😊

Praticar é a solução

Se és estudante de ciências ou exatas devo dizer-te que não é com resumos que lá vais, em aulas que envolvam matemática, química ou física por trás de boas notas costuma estar sempre muita prática. É assim que o nosso cérebro consegue desbloquear as formas corretas de trabalhar algum problema: através do resultado de ter feito diversos problemas semelhantes no passado.

Comunica com os professores e colegas

Lamento desiludir-te, mas se estás ou vais para a universidade e achas que é possível fazer-se o curso sozinho, sem necessitar de pedir ajuda a outras pessoas, não podias estar mais enganado. É através de pedidos para esclarecer dúvidas, conselhos de pessoas que já passaram pela experiência, partilha de apontamentos e grupos de estudo que se faz uma boa experiência.

Flashcards

Tens quizzes, testes ou exames que impliquem memorização? Grande parte da área de humanas implica este tipo de trabalho em alguma fase e a tua verdadeira salvação são os flashcards, acredita. Ler e reler resumos não é um método de estudo totalmente eficaz, uma melhor solução cientificamente comprovada passa pelo estudo ativo e quando se trata de definições ou acontecimentos esta é a forma ideal para o implantar.

Gerir o teu tempo nunca vai ser um desperdício

Para muitos pode parecer algo demasiado chato ou parvo por serem pessoas espontâneas, mas como eu costumo dizer qualquer método que utilizes deve ser ajustado a ti, à tua personalidade e modo de viver e não teres de ser tu a ajustares-te. Por isso, tenta gerir o teu tempo de diferentes formas e vai descobrindo o que resulta e não resulta contigo.

Dá valor ao tempo

Nós sentimos que estamos sempre ocupados(as) e que não temos tempo para nada quando vamos a ver, mas será que o estamos a utilizar da forma certa? Sim, o scroll no Instagram e no Tiktok são, provavelmente, bem maiores do que pensas. Para além disso, ter 10 minutos livres pode servir para algo mesmo que pareça que não.

Disciplina demora tempo e prática a desenvolver-se

Sei que já falei disto, mas é sempre bom repetir quando se trata de algo tão importante. Se és como eu e gostas de livros, podcasts ou outros formatos sobre desenvolvimento pessoal vais rapidamente perceber que qualquer bom aluno se foca em criar disciplina e não depender apenas de motivação.

Sim, a motivação pode ser uma grande amiga nos momentos iniciais, mas também temos todos noção que não dura porque se durasse não chegaríamos todos ao fim de três semanas de aulas a querer desistir.

Ter disciplina é a base para conseguir desenvolver um trabalho consistente e para isso acredito que deves refletir sobre que objetivos queres alcançar em termos educacionais e criar planos de ação adequados. Podes começar por criar um plano de estudos, sem esquecer de incluir uma rotina para ti que incluía cuidar do teu bem-estar físico e psicológico. A vida não é só estudar!

Ajusta o teu local de estudo para uma maior produtividade

Muito se fala de não estudar na cama ou no sofá porque há tendência a querer relaxar, mas há algo em que com o tempo eu deixei de acreditar e que ainda existem muitos “peritos” que afirmam: estudar sempre no mesmo lugar. Pode parecer a melhor ideia, e a mim parecia até ter um ano e meio de aulas em casa, mas ao fim deste tempo descobri que mudar de ares pode ser a solução.

Muitas vezes não nos apercebermos, mas o nosso mindset e momento no ciclo diário (de produtividade e concentração) irão afetar em muito o nosso trabalho pelo que o nosso sítio preferido pode não ser o melhor local naquele dia.

Assim sendo, recomendo-te a manteres sempre o teu espaço limpo para que também a mente assim o esteja, estudes onde estudares escolhe um sítio a que tenhas acesso a água e alguns snacks para que não seja a tua fome a desconcentrar-te (se não houver por perto não te esqueças de os levares contigo) e segue o teu instinto no que toca à escolha do local do dia para estudar (algo fora do comum pode ser a forma certa de trabalhar quando menos esperamos).

Descobre o teu local favorito fora de casa

Seguindo a ideia em cima devo dizer que sei que existe quem goste de estudar em casa, há quem não se consiga concentrar de todo na mesma e quem goste de variar. Para os últimos dois tipos de estudantes recomendo que experimentes diferentes locais de estudo fora de casa e descubras o teu favorito para os dias em que sabes que necessitas de despachar muita coisa.

Eu, por exemplo, não me importo de estudar em quase todos os lados, mas quando se trata de um dia de alta produtividade a minha escolha recai sempre sobre bibliotecas municipais. E sim, municipais. Maioria da bibliografia que eu utilizo é online e quando não o é eu tento dar-lhe uma vista de olhos antes e fotografá-la porque nos dias em que realmente preciso de acabar diversas tarefas estar com livros de bibliografia para mim costuma implicar divertir-me mais a folheá-los do que a lê-los. Para além que nestes locais existe menos tendência a aparecer-me conhecidos do que na biblioteca da universidade!

Vê videos do youtube e TED talks sobre o que estás a estudar

Se pensarmos bem somos da era digital, por isso é mais do que lógico aproveitar os recursos que ela nos fornece para complementar o nosso estudo ou, por outro lado, compreender sequer as bases de algo porque queiramos ou não todos nós já tivemos aquele professor que não entendemos por nada deste mundo ou que não esclarece uma única dúvida.

Preferes fazer resumos? Junta-lhes um pouco de estudo ativo

Uma maioria dos alunos que estudam fazem-no com uma grande frequência através de resumos da matéria e depois lendo-os e relendo. Queres elevar o teu estudo a outro nível? Experimenta criares um resumo de 1 página, sim leste bem uma única página. Para isso divide o que tens de saber por capítulos, em seguida podes começar por ler tudo o que tens sobre esse capítulo e pores os apontamentos de lado. Pega numa folha em branco e escreve tudo o que aches que é fundamental saberes ou que te lembres. O objetivo é ficares com o género de uma cheatsheet do conteúdo, podes fazer uma toda bonitinha e seguindo totalmente os apontamentos que tiveres, mas o facto de o fazeres por ti e sem recurso ao material faz-te compreender o que necessitas. Para além que terás um exercício que podes e vais repetir diversas vezes não sendo só relendo algo, porque à primeira provavelmente a tua folha vai parecer um monte de palavras soltas, mas é totalmente normal!

Prioriza os teus trabalhos segundo o efeito que têm na tua nota

Esta é uma ideia para quem costuma sentir demasiada ansiedade com a necessidade de ter inúmeros trabalhos ao mesmo tempo para fazer e, apesar de recomendar que realmente faças todos os trabalhos e com antecedência se te vires em algum momento que sabes que isso não será possível e necessitas de escolher lembra-te sempre de te focar no que será crucial para o peso da tua nota final.

Faz as leituras que te são designadas

Sim, eu sei, por vezes, é nos mandado ler dez textos para uma única aula e começamos a entrar em parafuso a pensar “Esta semana está cheia como é que eu faço?”, mas eu tenho um segredo para ti. Se os teus professores não disserem explicitamente que vão querer debater todos os textos e vão pedir aleatoriamente a alunos para o fazer uma solução, em alguns casos, se houver muitas leituras e pouco tempo é: lê a primeira leitura designada ou a que for mais salientada pelo docente; dá uma vista de olhos aos abstracts das outras ou faz-lhes uma leitura diagonal (se tiveres um pouco mais de tempo); se for para participar fá-lo na que leste para que não te prejudiques; planeia a leitura das outras ao longo do semestre porque prometo-te que vais ter em muita dessa leitura a ajuda que necessitas para complementar o teu estudo ou fazer os teus trabalhos logo não vale a pena deixá-lo para a última.

Cria um grupo de estudo

Esta dica é para aquelas pessoas que detestam estudar sozinhas por não sentirem que são produtivas ou perderem facilmente a concentração. Fala com 1 ou 2 amigos ou colegas e juntem-se de alguma forma para estudar, seja online ou presencialmente. Acima de tudo aproveita não só para fazer o teu estudo como para perguntares-lhe se te podem explicar as partes que menos percebes ou testem-se uns aos outros. É verdade que eles não vão ter as respostas todas, mas prometo-te que quando tu não entenderes algo eles como alunos como tu podem ter a explicação mais fácil de compreenderes.

Disclaimer: eu sei que é muito bonito juntar-nos com todos os nossos amigos, mas lembra-te que o objetivo é ser mais produtivo, por isso não tentes juntar o grupo todo. E se fores alguém que tem dificuldades em concentrar-se e acaba por distrair-se ou aos outros explica isso aos teus amigos e escolhe aqueles que tu sabes que conseguem não só ter um grande foco, mas como te conseguem ajudar a retomar ao mesmo.

Tem sempre contigo os essenciais

Se fores teres aulas leva sempre contigo o que usas para estudar para as mesmas, quem sabe se não terás um furo e assim podes aproveitar para despachar algumas coisas! E não, não tens de levar a casa inteira atrás se tiveres mais que uma aula no dia leva os essenciais daquela aula que tens o estudo em atraso ou uma avaliação próxima!

Estuda o que te interessa

Escolhe um trabalho de que gostes e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.

Todos nós temos conhecimento desta ideia e eu acredito que também se pode aplicar à nossa educação. É verdade que nem sempre podemos escolher tudo o que vamos ter que aprender, mas se existir oportunidades de escolha lembra-te sempre que se escolheres o que te intriga e te interessa é meio caminho andado para não sentires uma obrigação em estudar, mas sim desfrutares da experiência.

Imprime os slides antes da aula

Se os teus professores disponibilizam o conteúdo da aula ganha o hábito de o imprimires e se conseguires dares uma vista de olhos (leitura diagonal) pelos mesmos antes da aula. Porque assim te podes focar em apontar apenas o que o professor diz e não repetir a informação que já se encontra no suporte.

Tem sempre um papel solto ao teu lado

És alguém que se distraí frequentemente com coisas que te lembras que tens de fazer ou ideias durante os teus estudos? A forma que eu descobri ser ideal para lidar com esta situação é ter sempre uma folha ou página de um caderno em branco ao meu lado enquanto estudo e sempre que tiver pensamentos que me estão a desconcentrar aponto-os para que se for algo que tenha que fazer não haja a necessidade de parar de estudar para o fazer com medo de me esquecer. Isto ocorre com tarefas que me lembro que necessito de fazer, coisas que tenho de marcar, ou mesmo ideias para o blog. Também pode ser uma boa ideia teres uma folha onde apontes todas as questões e dúvidas que te surgem enquanto estudas para que depois as possas esclarecer e não tenhas de andar a tentar descobrir em que folha apontaste qual porque estão todas juntas.

Descobre a forma ideal de te organizares

Já todos sabemos que eu prezo pelo planeamento dos nossos dias e da nossa vida, mas todos somos diferentes. O importante em organizares-te é escolheres a forma correta para o teu estilo de vida e personalidade. Podes tentar diversos suportes como planners, bullet journals, calendários, to-do lists, formato digital. E ainda planeares o que tens de fazer por prioridade das tarefas, por agrupamento de tarefas semelhantes ou time blocking. A realidade é que se pesquisares sobre formas de organização e planeamento vais descobrir que existem bem mais do que pensas e uma delas pode ser a adequada para ti e ajudar-te a descomplicar a vida.

Cria um outline para os exames

Um outline trata-se de um guia com todos os pontos que tens de estudar e saber para os exames e pode-se ser criado em formato de uma to-do list. Se os professores te derem indicações dos tópicos que irão sair cria-o a partir daí e podes dividi-lo ainda em subtópicos ou mesmo em conceitos que sabes que tens de aprender para teres a certeza que nada te escapa durante os estudos.

Foca-te nas aulas

Lamento desiludir todos aqueles que dizem que não precisam de prestar atenção nas aulas porque têm todo o material necessário para estudar em casa, seja eles áudios ou powerpoints. Um segredo: quanto mais entenderes ou aprenderes num primeiro momento nas aulas, menor será o teu futuro estudo porque só terás de aprofundar ou tentar compreender os pontos que menos percebeste e não aprender os conceitos fundamentais desde o básico.

Distribui o teu estudo

Esta última dica é baseada no conhecimento adquirido ao pesquisar e ler sobre as conclusões científicas existentes sobre os efeitos que a distribuição do estudo tem nos nossos resultados.

Se tiveres que reter apenas umas dica deste post lembra-te sempre desta!

Distribuíres o teu estudo permite-te atingir os teus objetivos estudando menos tempo, mas alcançando os meus níveis de informação retida. A repetição do ato de estudar de forma espaçada é baseada num fenómeno de memória que se descobriu descrever a forma como o nosso cérebro aprende de forma mais efetiva. Herman Ebbinghaus foi o primeiro investigador a focar-se e a explorar esta temática resultando o seu trabalho na ideia da curva do esquecimento.

Apesar de atualmente se ter confirmado que a nossa memória não é assim tão simples, foi com esta ideia que se deram os primeiros passos para o desenvolvimento do estudo da distribuição da aprendizagem que aqui menciono.

Na realidade existem dois tipos de memória e o que acontece com a maioria das vezes é que nós usamos a forma de recuperação para os nossos estudos acabando por esquecer tudo quando já não necessitamos e o que queremos na verdade é ativar o que é chamado de armazenamento que não se perde, sendo baseada no facto do nosso cérebro compreender a importância da informação e poder sempre ser melhorada com o uso ou estudo repetido.

Assim sendo e com o objetivo de maximizar este tipo de memória diversos investigadores trabalharam até chegarem ao que eles consideram como o espaçamento ou distribuição perfeita do estudo para que realmente se retenha e aprenda a informação necessária.

Disclaimer: os tempos são apenas sugestões e ajudas para que possas guiar.

A ideia explorada por Benedict Carey sobre a distribuição do tempo para o estudo de um teste tem sempre em conta a distância a que estamos do teste ocorrer, ou seja:

Tempo que falta para o Teste/ExameEspaçamento entre sessões de estudo
1 semana1 a 2 dias
1 mês1 semana
3 meses2 semanas
6 meses3 semanas
1 ano1 mês

Isto não quer dizer que para um teste daqui a três meses só farás seis sessões de estudo. Esta ideia funciona do seguinte modo: se de hoje a três meses tiveres um teste iniciarás o espaçamento do teu estudo com o espaço de duas semanas, mas quanto mais próximo estiveres mais próximas serão as tuas sessões, ou seja, poderás estudar apenas de duas em duas semanas até à proximidade de um mês, mas aí o teu espaçamento diminuirá para uma semana entre sessões e quando faltar uma semana para um a dois dias entre as mesmas. Isto permite-te estudar menos, mas quanto mais próximo estiver maior será a frequência para que se garanta essa retenção de conteúdo com o maior nível possível.

E agora diz-me qual é a tua dica de estudo número 1? Aquela que recomendas a toda a gente porque não falha.

Publicado por Tânia

Licenciada em Sociologia e estudante de mestrado em Jornalismo. Apaixonada por tudo o que implique o mundo e livros.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: